O que eu tenho a dizer sobre: Maze Runner – Correr ou Morrer, de James Dashner

Título original: The Maze Runner
Autor(a): James Dashner
Editora: V&R Editoras
ISBN.: 9788576832478
Número de páginas: 426

 Sinopse: Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam “A Clareira”, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê.
Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar – chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr… correr muito.
Amazon ♥ Submarino ♥ Saraiva ♥ AmericanasLivraria Cultura ♥

 

 

Conheci Maze Runner através do filme. Um belo dia fui assistir um filme no cinema, assisti o trailer e na hora já me interessei pela história. Comecei a pesquisar data de estréia do filme e a história mais a fundo e acabei descobrindo que o filme era derivado de um livro. Acabei assistindo o filme antes de ler, mas fiquei completamente intrigada com a história. Sou uma pessoa que adoora ficar criando 1001 teorias sobre os mistérios de um enredo (alguém mais aí é assim?), e com Maze Runner eu pude fazer isso de sobra. Estou lendo o segundo livro no momento, então ainda não sei o desfecho geral, mas mal vejo a hora de saber tuudo!

 

 

 Resenha

Maze Runner – Correr ou Morrer gira em torno da Clareira, um lugar várias vezes maior do que um campo de futebol, cercado de muros altos e rodeado por um labirinto indecifrável. Quando Thomas chega a Clareira, sem memórias da sua vida até ali descobre cerca de 50 garotos que tentam sobreviver como possível dia após dia.
A história em geral é a mesma. Há dois anos os primeiros rapazes começaram a chegar à Clareira, sem memórias. A partir daí, tomo mês um elevador metálico, que chamavam de A Caixa, subia trazendo mantimentos e um novo Clareano.
Todos se organizaram a fim de manter a vida na Clareira. Cada garoto possui uma tarefa diferente: a horta, os animais, a cozinha, os “médicos” e etc. Porém um dos papeis mais importantes fica a cargo dos Corredores. São estes os responsáveis por, todo dia quando as portas do labirinto se abrirem pela manhã, correrem o mais rápido que puderem gravando e registrando tudo o que encontram pelo caminho e voltar antes que as portas se fechem evitando ficarem presos no labirinto a noite fazendo companhia para os terríveis vergudos. Depois, verificam as mudanças a fim de encontrarem alguma saída.
Quando Thomas conhece a função dos corredores, ele põe na cabeça que precisa se tornar um, porque, de alguma forma, ele será capaz de encontrar a saída que procuram há dois anos.
Mas afinal, quem os colocou lá? Por qual motivo? Existe alguma coisa fora da Clareira? Teriam eles alguém os esperando lá fora?
Porém, tudo começa a mudar quando no dia seguinte à chegada de Thomas, o som já característico que anuncia a chegada d’A Caixa trazendo um novo clareano ressoa pelo ar. Uma garota. A primeira em tanto tempo. Em sua mão, ela traz um aviso: Ela é a última. E antes de entrar em uma coma profundo consegue pronunciar que tudo iria mudar.
Como se as coisas não pudessem ficar mais estranhas, Thomas tem a impressão que conhece a garota. E que sabe seu nome. Seu nome é Tereza.

 

 

Maze Runner – Correr ou Morrer é um livro intrigante e cativante. A história é super bem contada e a gente se sente, muitas vezes, fazendo parte do enredo. Correndo ao lado de Thomas no labirinto. Eu sou meio suspeita pra falar, já que adoro uma boa distopia, mas adorei como o autor expôs a trama de modo a fazer o leitor ficar roendo as unhas, sempre curioso com o próximo passo.
E aí vai uma dica: se você for ler Correr ou Morrer sem possuir o segundo livro da série (Prova de Fogo) em mão não leia o epílogo. É sério. O epílogo foi meticulosamente planejado pra te fazer surtar desejando ter o segundo livro em mãos no momento que o terminar de ler. Então se contenha e espere ter a oportunidade de ler o segundo livro.

Se você também ainda não conhece o filme dá uma olhadinha no trailer:

 

E é isso pessoal! O livro é mais que indicado, então se vocês pretendem ler ou se já leram me contem o que acharam.

Beijinhos e até a próxima!

Maria Simone

24 anos, leonina, carioca, futura design gráfica e leitora assídua até de rótulo de shampoo. Apaixonada por fotografia e pela natureza.

RELATED POSTS

DEIXE SEU COMENTÁRIO